"Vai e faze o mesmo"

Ao vermos tantas situações de injustiça, ambição, corrupção, calamidade moral, às vezes parece impossível que este nosso mundo tome jeito.

Os mandamentos e o Evangelho estão nos dizendo o que Deus quer: respeito à vida, honestidade, fraternidade, amor a Deus e ao próximo...

Será esse programa impossível?

A leitura não diz que será fácil, mas afirma que o caminho da fidelidade à lei do Senhor é uma estrada aberta, onde se pode de fato andar. No Evangelho, vemos alguém querendo saber como se agrada a Deus. Se agradar a Deus bastasse, o assunto já estaria resolvido.

Mas não é essa a prova do vestibular para a vida eterna.

Jesus conta a parábola do bom samaritano para dar a esse “candidato a próximo” uma fisionomia definida. O próximo não é só o parente, o amigo, o conterrâneo; próximo é aquele de quem eu devo tornar-me próximo.

É o caído nas estradas da vida, o que tem feridas físicas, econômicas, emocionais, intelectuais, afetivas. O próximo é aquele que precisa ser, de algum modo, socorrido.

Quem precisa de mim, me convida a tornar-me próximo. Não faz sentido fazer imensas orações de agradecimento e adoração, se não nos comprometermos a ser, nós também, agentes de reconciliação e construtores de fraternidade. Não adianta se emocionar com o sangue da cruz.

Cabe honrar esse sacrifício mostrando que ele não foi em vão, respondendo ao chamado como discípulos que entenderam o recado e seguem com
autenticidade seu Mestre: “Vai e também tu faze o mesmo”. Que o Pai misericordioso venha ao nosso encontro e nos ajude neste caminho.
Padre Cremilson Silva Gomes (Paróquia Santa Luzia - Pancas - Diocese de Colatina)