"Buscai primeiro o Reino de Deus e a sua Justiça..." 27/02/2011

Dizem que se deve escolher entre a tecnologia e a divina Providência.
Quem tem a coragem de viajar de avião não deve pensar na Providência, e sim na segurança da tecnologia... Deus não deve intervir a qualquer momento, as leis da ciência e suas aplicações é que devem estas seguras... Não diminui a fé na providência a responsabilidade humana?

A 1ª leitura ensina a jogar-nos com toda a confiança nos braços de Deus: seu amor não desiste de cuidar de nós. E no evangelho, Jesus dirige nosso olhar para os pássaros do céu e os lírios do campo.

Mas ele não ensina a despreocupação. Ele nos ensina a atitude certa para o serviço do Reino de Deus: procurar primeiro o reino e sua justiça. Então, podemos contar com a providência de Deus, para que possamos cumprir a missão que ele nos confia.

Não a despreocupação, mas a liberdade e a simplicidade no serviço do Reino é a mensagem da parábola dos lírios. Quem procurar estar a serviço do Reino receberá como graça de Deus as coisas necessárias para viver.

Tal atitude é totalmente contrária à atitude dos que procuram antes de tudo riqueza, propriedades, prestígio, poder, prazer... Será difícil conseguir tudo isso e além disso “ter Deus”!

Melhor é procurar primeiro Deus e receber, além dele, o resto... Assim, o evangelho se opõe também aos despreocupados, que deixam tudo correr para não se incomodarem e por isso se tornam cúmplices daqueles que querem tudo para si.

O certo é primeiro empenhar-se pelo serviço de Deus, da justiça e do amor que Jesus nos ensina.

Então, sempre teremos a certeza de ter feito o que devíamos fazer. Se Deus nos concede uma vida longa e materialmente sucedida, para assim servi-lo, tudo bem; e se ele nos conduz ao sacrifício, não teremos nada a reclamar.

A confiança na Providência assim entendida não é contrária à responsabilidade e ao engajamento.

É sua condição necessária. Pois quem sempre está calculando como salvará seus interesses próprios, nunca se engajará com liberdade evangélica. Neste sentido, a confiança na Providência não é alienante, mas libertadora! Não tira a nossa responsabilidade, mas nos dá maior liberdade e coragem para assumir nossa responsabilidade na construção do reino.

Quanto mais confiamos em Deus, tanto mais cresce nossa responsabilidade. Devemos confiar como se tudo dependesse de Deus e nos empenhar como se tudo dependesse de nós (cf. Sto, Inácio de Loyola) .

Do livro "Liturgia Dominical", de Johan Konings, SJ, Editora Vozes
(fonte: http://www.franciscanos.org.br/)

Nenhum comentário:

Postar um comentário