"Aplainai o caminho do Senhor" Jo 1,6-8.19-28 - 11/12/2011

O Ser humano é uma criatura fantástica, desta sua condição diferenciada de todas as demais surgem comportamentos, atitudes, sentimentos, manifestações que brotam do seu interior e muitas vezes nem ele mesmo é capaz de explicar e entender.

Dentre os sentimentos que a vida humana experimenta, uma delas é a sensação de alegria. Alegria por que vêem seus projetos se realizarem, por que vê seus filhos crescer, porque se dá bem no exercício da profissão, por que a pessoa que ama está próxima e assim por diante.

Pois é da Alegria que a liturgia deste domingo se ocupa. É deste sentimento que falam as leituras da Palavra de Deus que se ouve nas celebrações dominicais, é isso que sugere o tempo do advento com a proximidade para o natal.

Alegria e espanto por tudo o que Deus realiza em favor da humanidade em todos os tempos.

Maria a mãe de Jesus, experimentou esse sentimento em distintas ocasiões e por diferentes motivos.

Ao receber o anúncio do Anjo de que seria mãe do Salvador; Alegra-te cheia de graça! Maria encheu-se de alegria com um misto de preocupação e incompreensão por tudo o que estava acontecendo.

Alegria quando se encontrou com Isabel sua parenta. E pela vida afora, diversas vezes a Bíblia aponta a alegria de Maria na companhia e presença do Filho.

Hoje, no terceiro domingo do advento, as comunidades que se reúnem para celebrar e rezar, são convidados a experimentar a mesma alegria que experimentaram homens e mulheres ao longo da história. Afinal de contas está muito próximo o momento de encontrar o Senhor. Eis que Ele vem!

Nesta condição, cada cristão é chamado, a proclamar como fez o Profeta Isaias no texto da primeira leitura: “Exulto de alegria no Senhor e minh'alma regozija-se em meu Deus; ele me vestiu com as vestes da salvação, envolveu-me com o manto da justiça. O Senhor Deus fará germinar a justiça e a sua glória diante de todas as nações”.

Na mesma direção exorta São Paulo: “Estai sempre alegres! Rezai sem cessar. Afastai-vos de toda espécie de maldade! Que o próprio Deus da paz vos santifique totalmente, e que tudo aquilo que sois - espírito, alma, corpo - seja conservado sem mancha alguma para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo!”.

Para dar testemunho da alegria que o Cristo veio trazer não é necessário ignorar a condição e a situação que se vive. João Batista, no texto do Evangelho, faz ver como isso é possível. Imitá-lo é sugestão e condição para todos os que querem ver Jesus.

O texto que se ouve hoje começa dizendo: “Ele veio como testemunha, para dar testemunho da luz, para que todos chegassem à fé por meio dele. Ele não era a luz, mas veio para dar testemunho da luz”. João mesmo afirma a sua condição e missão: “'Eu sou a voz que grita no deserto: 'Aplainai o caminho do Senhor’. 'Eu batizo com água; mas no meio de vós está aquele que vós não conheceis, e que vem depois de mim. Eu não mereço desamarrar a correia de suas sandálias”.

Neste sentido a alegria deste terceiro domingo do advento sugere às assembléias reunidas aquilo que se reza na última oração da missa: “que estes sacramentos purifiquem os pecados e preparem para as festas que se aproximam”.

Toda a Igreja e a Igreja toda é convidada a proclamar com Maria: “Minha alma exulta em Deus meu Salvador”, ao mesmo tempo em que se coloca penitente no caminho da conversão e da vida nova: “aplainai os caminhos do Senhor”. Para isso seja útil a oração de todos, a Eucaristia e a Palavra.

Padre Elcio Alberton (http://padreelcio.blogspot.com/)

Nenhum comentário:

Postar um comentário