"Senhor, da-nos sempre desse pão..." Jo 6,24-35 - 05/08/2012


A multidão procura Jesus, desejando continuar numa situação de abundância e governada por um líder político que decida e providencie tudo sem exigir esforço.

Jesus mostra que o pão material, embora necessário, não é o mais importante na vida (“não trabalhem pelo alimento que se estraga; trabalhem pelo alimento que dura para a vida eterna”). Existe algo bem mais profundo pelo qual vale a pena viver, embora exija empenho absoluto do ser humano. É a adesão pessoal a Cristo para que esta vida se torne plena e definitiva.

Neste texto do Evangelho percebemos claramente o modo admirável de Jesus fazer catequese. Aproveita o impacto produzido pela multiplicação dos pães e até mesmo o interesse mesquinho do povo pelo pão de cada dia para convidá-lo a ir além do “alimento que se estraga” para descobrir o “alimento que dura para a vida eterna”. Ele lhes promete este alimento e assim os conduz para outra dimensão, isto é, para “a obra de Deus” que consiste em aderir a Ele pela fé e agir seguindo seu ensinamento.

Não é uma fé cega o que Ele quer. Por isso aceita ser questionado (“Que sinal realizas para que possamos ver e acreditar em ti?”) e é respondendo a esta pergunta que Jesus dá mais um passo, comparando-se com o Maná (“o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo”) para provocar a mente do povo.

Sem ainda mostrar o verdadeiro motivo que o levou a multiplicar os pães, os ajuda a descobrir o alimento “que dura para a vida eterna” e desejá-lo abertamente com uma súplica («Senhor, dá-nos sempre desse pão»). E é só neste momento, depois deles terem superado o imediatismo do pão material, que conseguiram entender o que estava querendo lhes dizer. Então pedem abertamente o alimento espiritual para o sustento da alma. A resposta de Jesus (“Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome, e quem acredita em mim nunca mais terá sede”) mostra que é preciso dar um sentido à vida, com algo que garanta a estabilidade existencial e alimente a vida interior. Isto acontece com aquele que se alimenta do “verdadeiro pão que vem do céu”, isto é, da união com Cristo.

Alguém viu uma catequese mais completa? Alguém conhece uma pedagogia mais moderna? Este é Jesus, o Mestre..! Ninguém como Ele sabe ensinar..! Ninguém como Ele sabe respeitar a inteligência humana no processo de descobrimento de uma fé adulta, não imposta por ninguém, mas fruto de uma descoberta realizada passo a passo pelo ser humano....Realmente, temos muito que aprender!

Pe. Ciríaco Madrigal, O.S.A.

Nenhum comentário:

Postar um comentário