Preparando-se para a Páscoa Franciscana

No site dos Franciscanos muitos artigos interessantes sobre o santo que mais fielmente seguiu a Jesus, chamado por muitos de Alter Christus (outro Cristo).

Muitas reflexões sobre a Festa de São Francisco e o Trânsito do Seráfico Pai

Clique na imagem para acessar o site.



"Quem quiser ser o Primeiro, seja o Último" - 23/09/2012 - Mc 9,30-37

Jesus continua a precaver os discípulos sobre a sua morte, mas ”os discípulos não compreendiam o que Jesus estava dizendo” e, paralelamente ao ensino do Mestre “servidor”, eles continuavam com as idéias de grandeza “discutido sobre qual deles era o maior”. Caminhavam “ao lado de” Jesus, mas não “com” Jesus. Queriam estar junto a Ele como uma oportunidade de se promover, não de servir.

Jesus, com paciência infinita, aproveita a oportunidade para ensinar como deve ser a relação entre poder e serviço na comunidade cristã. Por ser uma questão muito importante, ”Jesus se sentou” e assumiu a atitude de Mestre.

Na comunidade d'Ele não há discussão a respeito de quem é o maior porque “o primeiro, deverá ser o último, e ser aquele que serve a todos”. Quando alguém quer ser o primeiro, surge a discussão porque sobram os demais (é uma tendência excludente). Mas, quando alguém quer se colocar em último lugar, para servir, não tem problema: sempre há lugar para todos (é uma tendência includente). O discípulo de Jesus está para INCLUIR a não para EXCLUIR.

A figura do garoto do evangelho é muito eloquente. Ele era filho, mas tinha que obedecer e servir o pai. Quem em relação a Deus se comporta como filho obediente e em relação aos outros como servidor, é o modelo do novo estilo de vida que é preciso abraçar, assim como Jesus “abraçou a criança” que tinha posto como exemplo? Isto, para ninguém duvidar de que o ensinamento dado serve para a comunidade d'Ele e serve para qualquer tipo de sociedade que seja considerada “cristã”.

Pe. Ciriaco S. Madrigal, OSA
www.osabrasil.org

Chagas de S. Francisco

No dia 17 de setembro a Família Franciscana celebra, em todo o mundo, a festa da impressão das Chagas, também chamada de Estigmas de São Francisco de Assis.

A introdução litúrgica da Missa e Liturgia das Horas diz o seguinte: “O Seráfico Pai Francisco, desde o início de sua conversão, dedicou-se de uma maneira toda especial à devoção e veneração do Cristo crucificado, devoção que até a morte ele inculcava a todos por palavras e exemplo.

 Quando, em 1224, Francisco se abismava em profunda contemplação no Monte Alverne (foto abaixo), por um admirável e estupendo prodígio, o Senhor Jesus imprimiu-lhe no corpo as chagas de sua paixão. O Papa Bento XI concedeu à Ordem dos Frades Menores que todos os anos, neste dia, celebrasse, no grau de festa, a memória de tão memorável prodígio, comprovado pelos mais fidedignos testemunhos.”

A vida de Francisco no Alverne é oração e ininterrupta penitência. Sente-se pobre e pecador. Quer despojar-se de tudo. Renuncia até mesmo a um manto que tinha sido salvo do fogo, a única coisa que tinha para cobrir-se durante o breve repouso da noite.

Francisco voltará muitas vezes ao Alverne para encontrar a paz em Deus que a situação da Ordem e o fato de estar no meio dos homens não lhe davam e entregar-se de corpo e alma à oração. No verão de 1224, última vez que esteve no Alverne, Francisco procura um lugar ainda mais “solitário e secreto” no qual possa mais reservadamente fazer a quaresma de São Miguel Arcanjo.

Na manhã de 14 de setembro de 1224 os céus se abrem e Cristo crucificado desce ao Monte Alverne na forma de uma serafim. Para conhecer mais sobre este maravilhoso testemunho do compromisso de Francisco com o Crucificado, clique aqui e acesse um especial no site dos franciscanos.
(www.franciscanos.org.br)

Ele faz bem todas as coisas - 09/09/2012 - Mc 7,31-37

 Conhecer mais sobre Nossa Senhora do Monte Serrat, clique aqui

É bastante comum em diversas regiões do Brasil o uso de provérbios e ditados populares como lições em diversas circunstâncias da vida. Um deles diz mais ou menos assim: “Só se conhece bem uma pessoa depois de comer em sua companhia um saco de sal.” Tal axioma é amplamente usado para agregar valor às amizades, ao namoro e ao casamento, às relações comerciais e assim por diante.
Ora, em relação a pessoa de Jesus e aos seus ensinamentos, as comunidades que o conheceram e com ele conviveram, foram experimentando sensação desta natureza. Ou seja, caminharam com Jesus, sentiram as provocações e desafios que lhe eram propostos, compreenderam os bons momentos das suas andanças. Alegraram-se com os milagres e curas.
Em outras palavras tinham a certeza que Deus estava com Ele, no final de tudo podiam afirmar com segurança: “Ele faz bem todas as coisas!”.
No evangelho proclamado na liturgia deste domingo o encontro e reconhecimento de Jesus acontecem mais uma vez em situação extraordinária. No campo, entre os necessitados, um deles surdo e que falava com dificuldade.
Acolhendo e fazendo melhorar a condição do homem que lhe fora apresentado todos podem ver que por, meio de Jesus,  é Deus mesmo quem age entre eles.
Situação semelhante havia vivido a comunidade de Isaias cujo relato está na primeira leitura. Depois de ter experimentado um momento de destruição e sofrimento a mensagem lida hoje apresenta um quadro de esperança, de alegria e de felicidade. Deus vem para salvar, vem para devolver a saúde e fazer brotar água no deserto.
Deus, em quem todos são convidados a confiar, como se reza no salmo da liturgia de hoje é reconhecido pelo apóstolo Tiago na pessoa de Jesus, a partir de quem ele pede que não se faça distinção entre as pessoas.
Ontem como hoje os seguidores de Jesus são desafiados e reconhecê-lo no meio de provações e dificuldades e à medida que o reconhecem não se deixar abater pelo sofrimento e por nenhuma forma de menosprezo das pessoas e da condição das pessoas.
No Brasil, de modo particular, se está vivendo o período eleitoral. Na mensagem para o dia sete de setembro a presidente da república anunciou alegrias, esperanças, acenando para redução de impostos, diminuição de custos de energia, aumento do crescimento econômico, valorização das pessoas e inclusão social.
Sem sombra de dúvida todas essas coisas, à medida que se concretizarem, podem ser entendidas como sinais de que a mão de Deus abençoou. Entretanto há que se compreender que tais fatos dependem em muito da vontade e da ação de cada cidadão brasileiro.  Sobretudo no exercício do voto consciente e responsável, isso significa dizer longe de comprometimento com compra ou venda de favores em troca de votos, longe de comprometer-se com candidatos cuja prática política não tenha ficha limpa.
Como o surdo do Evangelho os cristãos são tocados por Jesus, e consequentemente desafiados e ouvir e falar bem e viver do Jeito dele, ou seja, “fazendo bem todas as coisas”.
 Pe. Élcio Alberton
http://padreelcio.blogspot.com.br/
 

Francisco - Homem todo evangélico


Neste mês de Setembro, o site FRANCISCANOS, da Província Franciscana da Imaculada Conceição, preparou um especial como o título acima.

Clique na imagem e acesse.

Neste Domingo, dia 02/09, homenageamos nosso Assistente Espiritual, Frei André Becker e, por extensão, todos os frades do Santuário. Obrigado por sua presença, sua amizade, sua correção e sua escuta.

Após o café da manhã haverá palestra com projeção de um pequeno video sobre AS CHAGAS DE S. FRANCISCO.

Paz e Bem!