O pai misericordioso - Lc 15,1-3.11-32 - 10/03/2013

O 4º domingo da Quaresma tem uma nota de alegria pela aproximação da Páscoa. Jesus, com a parábola do pai bondoso, mostra sua atitude de irmão que acolhe o irmão e do Pai do Céu que acolhe a todos.

Devemos ter o mesmo coração acolhedor. Deus acolhe a todos nós e não nega o perdão a ninguém.

Ela lembra o tempo do deserto e da entrada na terra prometida quando celebram a Páscoa. Entrando na terra recebem um dom e, mas não vão viver de milagre. A missão do cristão é transformar o mundo a partir da compreensão de Deus como Pai bondoso e quer a reconciliação de todos em Cristo. A Igreja é para todos.

Quaresma é convite à conversão para viver a Páscoa de Jesus. A fé não é intimista. Temos pensar e viver como Jesus, não como os fariseus. Esse é o caminho da Igreja para cumprir bem sua missão, como Jesus.

Plástica do coração

Como esta Quaresma nos convida ao arrependimento e à conversão, Jesus é o primeiro interessado em nossa mudança para o bem. Por isso se encarnou em nossa humilde condição pecadora, vivia misturado com pecados.

Ele nos mostrou que seu Pai é bom demais e acolhe todos que se arrependem. Por isso conta esta magnífica parábola do Pai que acolhe o filho que jogara fora tudo o que era bom no lar, com sua família e caiu na vida.
Depois vieram as conseqüências do mal que fizera.
Arrependido volta para casa e é acolhido por seu Pai, não só para ter um prato de comida, mas para assumir seu lugar de filho. E fazem festa por isso.

O irmão mais velho é o retrato dos fariseus que recusavam os pobres pecadores e criticavam Jesus. A atitude do filho mais velho, que tem tudo e não percebe, é contrária à expressão do Pai bondoso que acolhe todos os que se arrependem. Essa atitude é a Páscoa de Jesus fonte da alegria em nossa vida

Pe. Luiz Carlos de Oliveira, redentorista.
http://padreluizcarlos.wordpress.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário