"Palavra dura de escutar"-Jo 6,60-69-23/08/2015

A opção por Cristo não um peso, mas uma libertação.

É uma escolha que exige deixar os muitos deuses. Josué continua na disposição de servir o Senhor.

Ao escolher Jesus, os discípulos são desafiados a um novo modo de vida a partir de Jesus. Isso exige fé e entrega. No ensinamento sobre o Pão da Vida, muitos dos discípulos que O escutaram disseram: “Esta Palavra é dura! Quem pode escutá-la?” O sentido dessa palavra (dabar), em hebraico, significa duro de compreender e de escutar.

É dura porque envolve ver e praticar. Era abominável para o judeu beber sangue e comer a carne de alguém. Em segundo, como aceitar que um homem como nós se põe como Deus? Vemos na prática que os cristãos mantêm a recusa dessas palavras duras e não se aproximam da Eucaristia. Pior, é tomar a Eucaristia sem perceber sua intensidade espiritual e a conseqüência humana.

Se eles se escandalizaram com o discurso do Pão da Vida, mais ainda se escandalizarão quando Jesus subir ao Céu. Como um homem pode ir ao Céu glorificado?  Jesus responde a esses questionamentos apresentando que o que se refere a Deus, somente se entende a partir do Espírito Santo. Afirma: “O Espírito é que dá vida, a carne não adianta nada” (Jo 6,63).

Somente o Espírito pode fazer-nos compreender que a Eucaristia, pão e vinho consagrados, são o Corpo e Sangue do Senhor Jesus em seu Mistério Pascal de vida, morte e ressurreição. Por isso Jesus ensina: “As palavras que digo são espírito e vida” (63). Ninguém pode vir a mim, a não ser que lhe seja concedido pelo Pai (65).
Até entre os discípulos mais próximos, os apóstolos, há os que não acreditavam apesar de tudo o que Jesus demonstrara.

Tu és o Santo de Deus

Ao ver que muitos se afastavam Dele, pergunta aos discípulos: “Vós também não quereis ir embora?” (67). Em nome de todos Pedro responde: “A quem iremos, Senhor? Só Tu tens palavras de vida eterna.

Nós cremos firmemente e reconhecemos que Tu és o Santo de Deus” (Jo 6,68-69). É a entrega de fé. É a resposta a todo o mistério da Eucaristia. Assim foram também as palavras de Josué: “Nós serviremos ao Senhor porque Ele é nosso Deus” (Js 24,18b) 

Nós imploramos para dar a mesma resposta: “Dai ao vosso povo amar o que ordenais e esperar o que prometeis, para que, na instabilidade deste mundo fixemos nossos corações onde se encontram as verdadeiras alegrias”.

Deus não obriga a servi-Lo como diz Josué: “Se vos parece mal servir ao Senhor, escolhei hoje a quem quereis servir: se aos deuses a quem vossos pais serviram na Mesopotâmia ou aos deuses dos amorreus?” (Js 24,15).

Nosso Deus faz hoje a mesma pergunta não impondo, mas propondo um caminho. Atualmente vemos que muitos se afastam de Jesus como os discípulos e preferem se entregar a ideologias e aos muitos deuses que a sociedade fabrica.

Fruto da Eucaristia no amor

Reconhecemos que a Eucaristia tem uma força transformante: “Fazei agir em nós o sacramento do vosso amor, e transformai-nos de tal modo pela vossa graça que em tudo possamos agradar-Vos” (Pós comunhão).

Não basta receber a Eucaristia. É preciso coerência. Sem isso ela perde o sentido. Não basta por a santa Hóstia na boca, é preciso guardá-la no coração. Paulo, na Carta aos Efésios, orienta a vida dos casais para viver no amor como Cristo Se doa à Igreja e dela recebe a entrega total.

Família nasce da Eucaristia, pois não há amor matrimonial que não seja continuação do amor de Cristo. Como Cristo é um com a Igreja, o casal é unidade espiritual e carnal. São espelho do amor de Deus.

Pe. Luiz Carlos de Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário