Ser VIP é servir - 18/10/2015 - Mc 10,35-45

Brasileiro gosta de ser VIP, Very Important People… Se puder, na base do jeitinho, conseguir um lugar melhor, uma vantagenzinha no atendimento, pular alguns lugares na fila, bom também… Levar vantagem eleva a autoestima, transmite segurança, injeta autoconfiança, traz uma certa alegria, meio infantil, do tipo “eu posso, você não pode”, “eu tenho, você não tem”. Em muitos aspectos, teimamos em crescer. Também queriam tratamento VIP Tiago e João ao se aproximarem de Jesus para pedir dois lugares de destaque, um à esquerda e outro à direita do Senhor quando Ele estivesse em sua glória: desejavam fama, conforto, destaque, segurança (Mc 10,38, o evangelho deste 29º domingo do Tempo Comum). Ainda não tinham compreendido a lógica de Jesus e do Reino que Ele planejava instaurar.

Voltando à comparação com as crianças, se o senso comum nos impele a investir no “eu posso, você não pode”, Jesus assume postura oposta, abraçando o “eu poderia, mas escolhi não poder”, bem explicado: Filho de Deus Onipotente, Jesus se despe desta prerrogativa e escolhe viver na plenitude a humanidade, sem demonstração de força, sem exigência de tratamento diferenciado, abraçando, inclusive, terríveis sofrimentos e dolorosas humilhações para se colocar a serviço de todos. É este mistério de entrega que impressiona o profeta, que diz: “Oferecendo sua vida em expiação, ele terá descendência duradoura, e fará cumprir com êxito a vontade do Senhor” (Is 53,11).

Como modelo de ser humano que batalhou incansavelmente para combater qualquer tentação de grandeza, São Francisco de Assis buscou seguir com fidelidade o itinerário proposto por Jesus e adquiria força para tal empreitada numa vida de contínua oração, pela qual buscava cada admirar-se pela grandeza da humildade de Deus manifesta em Jesus Cristo. E, por isso, consegue exclamar: “Eis que Ele [Jesus] se humilha todos os dias, tal como na hora em que, descendo do seu trono real para o seio da Virgem, vem diariamente a nós sob aparência humilde; todos os dias desce do seio do Pai sobre o altar, na mão do sacerdote” (Adm 1,16-17).

A humildade do Filho do Homem impressionou Francisco e teceu o sentido do seu viver. Também pode tecer o nosso. Basta abrirmos espaço no coração, esvaziando-o do desejo infantil de ser importante, poderoso, notável, o máximo. Afinal, na lógica de Francisco e de Cristo, “SER VIP” é “SERVIR”.

Frei Gustavo Medella, OFM
(www.franciscanos.org.br)

Nenhum comentário:

Postar um comentário